twitter
    Dentro de mim ficam infinitamente mais coisas do que as que aparecem nas palavras.
English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

Você está lendo um assunto SuperInteressante. Venha ler um SuperInteligente.


A priori, me desculpo pelo exagero do título do post, mas ninguém pode negar os efeitos de uma boa propaganda.

O real título da postagem é NEPOTISMO, NOSSA TRADIÇÃO AMORAL.

A palavra Nepotismo é oriunda do latim nepos que significa neto ou descendente, e é empregada para mencionar a prática de favorecimento de parentes para ocupação e promoção de cargos, mesmo em detrimento de indivíduos melhores qualificados. Nepotismo, no Brasil, é sinônimo de privilégio de cargos na administração pública, pois sua prática nesse meio é feita de forma desenfreada e escancarada em todos os níveis da administração pública, desde as prefeituras até cargos da união.
A Constituição Federal de 1988 no artigo 37 versa que a administração pública deve pautar sua atividade sob a moralidade e a impessoalidade. Apesar do dito Constitucional, este não é por si só suficiente para extirpar a prática do nepotismo. A própria legislação brasileira é que respalda a proliferação do nepotismo devido à deficiência de limitações entre o que seriam cargos de natureza meramente política e aqueles de natureza técnica. Tal omissão (omissão dolosa) é que permite a distribuição dos cargos aos parentes, amigos e companheiros, deixando a qualidade técnica e profissional em segundo plano, digo melhor, sem se importar com a mesma.
É sabido e consabido que o Nepotismo é também uma das causas do atraso em que se encontra nosso país. Não se pode esperar um trabalho de qualidade, e uma boa produtividade de um profissional desqualificado tecnicamente, e que em período de eleições suas prioridades se resumem a trabalhar (babar) pelos candidatos. A administração pública acaba se tornando precária, fruto dos seus débeis funcionários de apadrinhamento político. Os problemas causados pela prática do nepotismo vão desde os mais “simples” como a morosidade e a imperfeição da execução de serviços básicos como o de atendimento e informação, chegando a atingir até mesmo a economia do país, seja de forma direta ou indireta.
É vergonhoso dizer que precisamos combater tal prática, pois é inaceitável que um país regido pelo estado democrático de direito sofra de tal mazela. Se os padrões éticos e morais fossem praticados pela população (não digo pelos políticos, pois a ausência dos padrões éticos e morais nos políticos já é um reflexo da população) esse problema sequer existiria, e essa discussão seria totalmente desnecessária.
Como anteriormente citei, nem um dispositivo legal Constitucional é suficiente para instituir a moral em um país de imorais. Vindo a ser necessário mais uma construção legal, só que de caráter severo e punitivo, que possa instituir o comportamento moral pela coerção, que aparentemente é a única linguagem conhecida no Brasil.
Enquanto nada se resolve eu vou voltar aos meus estudos, vou ler a Constituição, e ao ler o artigo 37 verei mais uma letra morta, assassinada pelo nosso povo e pelos nossos políticos.

4 comentários:

Mônica Fernandes disse...

Disse simplesmente tudo! Engraçado como isso ainda existe, e exite em todos os lugares, porém é mais prevalente e gritante no interior, onde os munícipes são anulados quanto a sua liberdade de escolha, pois se não forem de determinado partido não terá emprego, se não tiver um forte "padrinho" ou se não forem da família do "digníssimo" administrador do município, (literalmente e usando um termo popular) Já era!
Lamentável realidade. Todavia os maiores culpados são os munícipes ou a população em geral, que se conformam com o que vem acontecendo e apoiam tamanho absurdo.
Isso seria devido a tradição ou alienação? A resposta está bem nítida.

Excelente post.

lilianfayef disse...

Meu bem, agora com esse post consegui ver com mais clareza sua revolta (comparando aos outros assuntos já postados) e desejo por um lugar melhor para se viver. Este realmente é um problema já impregnado nas entranhas do sistema público (educação, administração, saúde) não há serviço do qual um filho, um irmão de alguém não seja favorecido aqui no Brasil. Vc frisou a necessidade de uma construção legal de caráter severo e punitivo alegando que "aparentemente é a única linguagem conhecida no Brasil", vejo que vc já tem assunto para outro post, se a solução pra esse problema é a punição... como resolver o problema da falta de punição aos corruptos desse País?

...

bjos amor! MUITO bom o seu post, MAS muito longo! :D

Livigstone Tavares disse...

Lilian Faye Pedrosa. Estou tentando diminuir o tamanho dos posts. Agora escrevo primeiro no word, e não deixo ultrapassar uma lauda.

Nika disse...

Revoltante mesmo.
Absurdo maior é ver o jogo de cintura próprio de "reboleition" com que certas autoridades fazem para manter seus aparentados assinando folhas de ponto e ainda em muitos casos sem aparecer no local de trabalho.
A ultima que se mostrou em meu estado é um tipo de troca onde os parentes das autoridades do TJ contratam os parentes do TCE e vice-versa.
E eu estudando pra concurso...

Postar um comentário

Comente:

Esse blog pertence a um Alvirrubro Pernambucano

Esse blog pertence a um Alvirrubro Pernambucano
[Náutico] Conheça o site do meu time do coração [Náutico]