twitter
    Dentro de mim ficam infinitamente mais coisas do que as que aparecem nas palavras.
English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

Palavras não ditas.


Passamos a maior parte de nossas vidas falando coisas que não queremos, dizemos coisas que não somos, sempre nos esforçamos para encobrir cada verdade que existe no nosso ser. Para justificar tal assertiva vou narrar um fato de minha infância. Quando criança, memoro de um dia que recebemos a visita de um senhor. Minha mãe me advertiu que não me aproximasse dele, pois ele falava cuspindo, e ela não gostava quando ele nos visitava em razão disso. Quando ele chegou a nossa casa, meu irmão quis sair do quarto e eu o adverti (em voz alta). “Não vá para lá (sala), pois o senhor que está com Mainha fala cuspindo e ela disse que ele vai nos cuspir todinho”. A casa era mui pequena e o homem ouviu tudo. O intento da história não é repreender a atitude de minha mãe e mostrar o evento como uma lição para ela, tampouco uma historieta para se dizer o jargão: “cada uma que criança apronta”. No relato, em suma, vemos a verdade, o real sentimento acerca da visita e a tentativa de encobrir isso. Obviamente fui castigado pelo ocorrido, e o castigo advindo não foi nada mais do que parte do treinamento que todos recebemos quando crianças. Somos treinados para esconder a realidade sob uma superfície de fingimentos e falsa educação. Não me entendam mal ao tocar nesse assunto, não sou nenhum extremista que está propondo um mundo onde todos devem agir e falar de forma irresponsável, olvidando os princípios de respeito que são essências para a vida em sociedade. O assunto aqui foi tratado devido à carência de sinceridade, e a minha inquietude atual em busca de vivenciá-la de forma ativa e passiva. Não consigo conter minha necessidade de ouvir palavras verdadeiras e sinceras, e igualmente me sentir liberto para também agir deste modo. Quantas vezes estamos ao lado de quem amamos, sejam pais, irmãos, familiares, amigos, ou até mesmo pessoas que acabaram de chegar a nossas vidas, só que mesmo tendo sentimentos louváveis por essas pessoas não conseguimos dizer o quanto são importantes, o quanto os amamos. É triste saber que as mais importantes palavras são ditas de forma escancarada apenas quando não se pode ouvi-las, no desabafo solitário dentro de um quarto ou no pior caso, nas cerimônias fúnebres. Até escrever se tornou uma forma ilusória de relacionamento, a escrita não tem ou apenas deixou de ter o poder da voz. Antes que os escritores se ofendam com tal assertiva, aqui vai a justificativa. Dia após dia recebo dezenas de “beijos”, “eu te amo”, “eu te adoro”, por orkut, e-mail’s, sms’s e demais formas escritas. Ocorre que quando encontro essas pessoas que me escreveram, delas recebo apenas um “oi” encabulado. Até a escrita, forma clássica de expressar o mais nobre dos sentimentos, se tornou vítima do cárcere dos sentimentos. Eu já me decidi, vou tentar superar a cultura social da hipocrisia e do aprisionamento dos sentimentos, tenho tentado a cada ser mais verdadeiro. Não é fácil, contudo já experimento algum progresso advindo dessa opção que já assumi há algum tempo. Por fim, aconselho você a experimentar essa atitude também. Pelo menos nesta esfera minha vida tem sido melhor após tal decisão.

23 comentários:

Mayra disse...

Orkut,MSN,são excelentes ferramentas para a comunicação porém...cuidado com a manipulação que existe através delas...Diga não a manipulação de sentimentOs!
Excelente, amei o texto vou virar fã...
“Nunca sabemos quando somos sinceros. Talvez nunca o sejamos. E mesmo que sejamos sinceros hoje, amanhã podemos sê-lo por coisa contrária.”(Fernando Pessoa)

Ellen Lacerda (Elinha) disse...

Tens razão! Somos todos polida e politicamente educados!
Aprendemos a reprimir o que sentimos e nos tornamos não sei nem o que...

Acho que conheço o "senhor" que falava cuspindo td mundo... rsrs

Sábias palavras!
xero.

Sérgio Ricardo disse...

Não é propriamente as palavras que são estranhas. Estranhos são os donos delas, que criaram um universo paralelo falso, principalmente no abominável orkut. Veja que uso o orkut de outras pessoas para lhe mandar um recado ou outro, e acredito que mantenho meu estilo pessoal que tenho com você. Evito ter orkut, como já lhe disse, pois não tenho paciência de ficar com aquela mania brega (quase universal) de muitos de ficar tirando fotos até em banheiro de shopping, ficar tendo que mandar feliz aniversário para quem nem conheço direito ou ficar me definindo e definindo os outros toda hora como super isso e super aquilo. Quanto a sermos polidos e educados, quem dera boa parte das pessoas também fossem assim mesmo. Feliz ou infelizmente não podemos dizer tudo o que nos vem à cabeça. Mas a escrita é uma nobre forma de desabafo. Não fosse por esse caráter dela, perderíamos a Divina Comédia de Dante, dentre muitas. E quanto à escrita na música, mesmo sem ser direto, Verdi foi arrasador na ópera Nabuco. Inaugurou o estilo impecável de falar em meio à censura sem que os ignóbeis censores percebessem. Ou quando percebessem, já fosse tarde demais. Nosso bem mais talhado exemplo de resistência ao governo pela escrita na música foi Chico Buarque.

Marcondes Alberto Pinto de Araujo disse...

É Bita, quantos sentimentos nossos não são abortados no cotidiano maluco em que vivemos e que por vezes esquezofreniza nossas relações com o outro. Bom post!!!

lilianfayef disse...

Amoreco, com urgência várias coisas precisam ser ditas em todos os tipo de relacionamento... qtos filhos precisam ouvir palavras sábias e de afeto; quanto casais precisando do carinho da palavra do outro e não da briga constante; quantos amigos precisam saber que são muito qridos...daquele velho jeito, daquele que tem efeito! cara a cara!!
O problema é q essas tecnologias trouxeram várias comodidades e vários conflitos, assim como, várias vezes, somos incapazes de saber se algo que uma pessoa nos disse é verdadeiro, na internet isso fica em escalas piores, muitas vezes sendo até desprezadas por se tornarem rotineiras...
percebo que algumas coisas q falo, nunca teria coragem, ou passaria grandes apuros, de dizer pessoalmente, coisas simples como pedir algo, etc.
tbm sei que vc passa por esses momentos, pq já me contou, tbm sei q está tentando colocar essa nova postura em prática a algum tempo, espero que tenha êxito para vc e q contagie!
bjs

Enylaine *Eny* disse...

Concordo... As pessoas hoje tratam o "te adoro", o "te amo" como um bom dia qualquer... Mas creio também que ainda habitem nesta Terra seres capazes de dar e receber amor de maneira plena... A sinceridade dos sentimentos é vista com as atitudes, com as manifestações mais singelas de carinho. Um aperto de mão seguro, em delicado beijo, um "abraço" marcante as vezes traduzem mais profundamente o que habita em nossos corações... Palavras, o vento leva e o coração humano costuma escutar... Principalmente quando profanadas de maneira imprópria, inadequada... Atitudes conquistam, marcam, mas palavras seguras, ditas com a alma, também são recebidas pela alma... Beijos saudosos escritor...

Mônica Fernandes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mônica Fernandes disse...

Concordo em partes.
Na época dos meus pais era de uso comum as cartas, bilhetinhos... Flertes, namoros começaram assim, como também brigas, términos, enfim várias coisas eram escritas ali de uma forma às vezes boba, mas numa tentativa real de traduzir em palavras o que estava sentindo. Logicamente houve o aprimoramento disto... Primeiro o e-mail, depois MSN, Orkut, entre outros. Aí foi gerando o alívio para os tímidos que sofrem para falar sobre seus sentimentos (eu que o diga), o aliado dos namoros a distância, uma nova forma de fazer amizades... Seria um “desabafo tecnológico”. O errado é quando usamos estes meios para falarmos o que não sentimos, os usando como máscaras. Particularmente costumo escrever para as pessoas que gosto, talvez seja no intuito de eternizar as palavras, já que como somos humanos e passivos de falhas, poderemos esquecê-las ao logo do tempo. Lógico que quando tivermos a oportunidade de falar cara a cara, devemos literalmente soltar o verbo! Como também um abraço apertado, um beijo, olho no olho vale mais que mil palavras... No entanto é válido observar atentamente o porquê de não ter sido usado. Seria por timidez? Falsidade? Distância? Ou mesmo uma censura por coisas maiores?
Isso vai variar de pessoa para pessoa e de situações, momentos... Mas a meu ver, quando o sentimento é verdadeiro e quando a tecnologia é usada de forma transparente, tudo é válido!
Bem, se for usado as palavras ás vezes de forma eletrônica e depois ao vivo, fica muito melhor!

Ótimo post, Livi!

Laura Ribeiro disse...

Como o Sérgio Ricardo comentou, o mais estranho é quem as utiliza. Acho que palavras serão sempre palavras, apenas "objetos" de fácil mutação, que ganham ou perdem sentido de acordo com quem as utiliza.

Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ FLOR Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ disse...

Amei tudo que li, poucas pessoas tem coragem pra falar de seus sentimentos e pensamentos....ai ai ai... essa vacina tambem tá dando o que falar né.... fikei fã. bjinhos da Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄ƷFLORƸ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ

EspertaH disse...

KKKKKKKKK BELO POST

Penelope Charmosa! disse...

É triste saber que as mais importantes palavras são ditas de forma escancarada apenas quando não se pode ouvi-las, no desabafo solitário dentro de um quarto ou no pior caso, nas cerimônias fúnebres.

Muito sabio seus pensamentos... Tento encontrar uma palavra que expresse meu carinho por algumas pessoas especiais, pois o AMOR, já virou um bom dia, onde até mesmo pessoas que não sabem seu verdadeiro significado me falam quase todos os dias o quanto me amam. Dura realidade!

Pedro Guilherme disse...

Muito interessante o seu Blog, apresenta um excelente conteúdo! Vim tbm para agradecer o comentário no meu Blog, e dizer que novos cappitulos serão postados, pois a história tem um total de 14 capitulos. Porém, devido a falta de tempo, só nos finais de semana poderei postar. Abraço

Lucas Medeiros disse...

Bom post. Realmente acontece isso. Pessoas escreverem dizendo que me adoram e tal. Quando me veem na rua, dão um "oi", de vez enquando um abraço forçado.
Não compreendo tanta gente aceitando mentiras...

Livigstone Tavares disse...

Esse post, aparentemente, foi o que fez mais "sucesso". Deve ser por a situação ser oponível a quase todos. Fico até triste, pois o grande número de comentários apenas corrobora a situação lamentosa.

Ramon disse...

É cara!
Muitas vezes eu tenho a sensação de que as relações humanas tão se tornando cada vez mais superficiais. Eu conheço pessoas que por orkut fazem questão de serem amáveis. Quando muitas vezes, eu nem as conheço pessoalmente. E quando tenho a oportunidade de conhecer, acredito ter sido melhor nem ter conhecido. rsrs
Abraço Livigstone

Ramon disse...

Esse comentário que eu escrevi anteriormente, tá parecendo um joguinho de palavras do verbo "conhecer". Eu li agora e achei meio esquisito. Mas tá valendo.
kkkkkkk

abraço

Livigstone Tavares disse...

kkkkkkkk Não ficou esquisito Ramón, foi bastante lúcido seu comentário. Obrigado.

Livigstone Tavares disse...

"Há coisas que nunca se poderão explicar por palavras". Saramago

Dalvinha disse...

EXCELENTE!!!!!! CONCORDO PLENAMENTE,

Se fôssemos todos assim, seríamos mais felizes,pois as palavras verdadeiras são como mel ao paladar, já dizia o sábio, há séculos.....
Parabéns pela construção do texto sábiamente escrito e extremamente oportuno. show!!!! adorei!!!! continue pensando e agindo dessa forma.

Como maças de ouro em salva de prata, assim é a palavra verdadeira dita sempre.... Palavras de Salomão com acrescemos meu. rsrsrs
bj.

Laurindo disse...

Como disse o sr. Ramon, cada dia que se passa, as relações estão cada vez mais superficiais. Na verdade com o advento da tecnologia e redes sociais, o ser humano ficou mais aberto "virtualmente" que na realidade. Aquela coisa de olhos nos olhos, abraços, enfim... contato físico, parecem cada vez mais intimidar as pessoas. Portanto, caríssimos, se não é de coração e de fato verdadeiro, guardem para si essas "falsas verdades" e palavras bonitas.

INM'PACTO SAÚDE disse...

Nossa!!! Sem palavras. Sofro desse mal, dizer o que sinto, mas é verdade q é mais "fácil" escrever do que verbalizar nossos sentimentos. Na atual geração o que percebemos é o esvaziamento dos sentimentos. Nos relacionamos de forma superficial. Conheço muitas pessoas que preferem não se relacionarem com medo de futuras decepções. Tem medo de dizer que amam alguém com medo de não serem correspondidos. Eu penso um pouco diferente, acredito que decepções fazem parte e q o bom mesmo é viver intensamente essa vida. Talvez esse esvaziamento dos sentimentos, a falta de demonstração, contribua para o aumento do indice de doenças psíquicas.

Livi parabéns pela postagem. Esse texto é de extrema relevância!!!

Um abraço!!!


Rogiene Batista

Shara Kelly disse...

Bom, depois de muito relutar em expor minha opinião, resolvi comentar (desabafar ou algo parecido) sobre essa postagem do meu querido colega, Livi.

Passei um “certo” tempo da minha vida (olhe que não sou tão velha assim... 25 aninhos) sempre ouvindo os comentários, opiniões, amores, desamores, desgraças dos outros... porém isso me fazia um mal tremendo. Fazia-me mal porque nunca encontrei “espaço” para fazer o mesmo, e essa situação sempre me deixava desconfortável.

Um dos motivos que me motivaram a escolher a profissão que hoje exerço, a de jornalista, foi “achar” que com o “poder” da palavra, assim achava que tinha, poderia escrever, falar, expor o que queria e o que não queria. Na realidade, queria combater tudo e todos com a “verdade”. Doce ilusão a minha, não é!?!

Concordo que somos “treinados” para esconder, omitir, mesclar a verdade. Mas será que as pessoas “aguentariam” a mais pura verdade? Eu acho que não! Viver nesse mundo de “Faz de conta” ainda é confortável, para alguns.

As redes sociais, comunidades virtuais são maneiras, algumas vezes, de esconder realmente quem somos... o que realmente sentimos, porém é uma forma de aproximar quem está longe. Mas, o que é “está longe”? Hoje em dia, boa parte dos pais, irmãos, familiares não prezam mais pelo contato pessoal. A tal da “tecnologia” substitui a presença. É triste, mas as coisas tendem a piorar, infelizmente!

Penso como você, Livi... devemos tentar nos libertar dessa cultura social da hipocrisia e dessa prisão que não nos permite expor verdadeiramente os sentimentos. Caramba, amigos dizem: EU TE AMO não “somente” por redes sociais. As palavras importantes devem ser “gritadas”, literalmente. Viva a sinceridade!

Ah, mais uma coisa... prometo que quando nos reencontrarmos, espero que seja breve, você não receberá um “oi” encabulado. Pode ficar certo disso!


Com carinho,

Shara Kelly Santos

Postar um comentário

Comente:

Esse blog pertence a um Alvirrubro Pernambucano

Esse blog pertence a um Alvirrubro Pernambucano
[Náutico] Conheça o site do meu time do coração [Náutico]