twitter
    Dentro de mim ficam infinitamente mais coisas do que as que aparecem nas palavras.
English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

Dúvidas acerca da vacina para a Gripe Suína H1N1 - Devemos nos vacinar?


Há alguns dias recebi a notícia de que haverá vacinação em massa em combate a gripe suína.
Acerca da vacina sobre a gripe suína, um amigo português me informou sobre diversas dúvidas que estão sendo levantadas acerca dessa vacina na Europa, e me chamou à atenção que no Brasil nada se fala em desafeto a vacina. Após saber de tal notícia eu postei no twitter que não sabia se ia tomar, e postei o link de um vídeo da ex-ministra da Finlândia, Dra. Rauni Kilde, falando sobre a vacina e uma possível "conspiração". O interessante é que na mesma hora que fiz o up, o twitter do ministério da saúde (que eu não sigo, sei lá como me acharam) mandou uma "resposta". Disse: @minsaude @LiviTavares Circulam informações falaciosas a respeito da vacina contra #influenza #H1N1. Em http://bit.ly/dhwUYf estão os dados confiáveis. Estranho comportamento com um usuário comum que sou, e de forma tão rápida. Aparentemente há o intuito de conter informações acerca dessa vacina. Deixarei aqui o link do vídeo, para que cada um tire suas próprias conclusões. É bem verdade que em alguns pontos a ex-ministra parece exagerar, mas também não se pode ignorar o conteúdo do que ela fala.

Link para o vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=v18AfN3k6P8

22 comentários:

Mônica Fernandes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mônica Fernandes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mônica Fernandes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mônica Fernandes disse...

>Achei muito interessante esta sua postagem sobre a AH1N1. Até então não havia visto algo do gênero sobre a mesma, pois como você mesmo expôs,não foi divulgado nada relativo a isto no Brasil. Torna-se um tanto controverso... Será que a Organização Mundial de Saúde (OMS), uma agência tão séria que tem como objetivo desenvolver formas e meios para proporcionar qualidade de vida, seria capaz de desenvolver tal vacina para acabar com grande parte da população mundial?

Mônica Fernandes disse...

Um indagação pesada e cheia de grandes lacunas. Ora, se fosse assim, (sem querer defender, apenas propondo um questionamento maior), por que foram criadas inúmeras vacinas comprovadamente eficazes no combate de inúmeras doenças? Basta olhar o calendário da PNI (Programa nacional de imunização). Como sabemos, houve a grande conquista da erradicação de doenças como já em 1942 da febre amarela urbana, ou a vitória contra a Poliomielite, onde último caso registrado desta doença, no Brasil, foi em 1989. Por que todo ano é feito a vacinação para idosos contra o vírus da gripe comum?

Mônica Fernandes disse...

Todavia, infelizmente em tudo há um jogo de interesses,e o bom é questionar procurando as devidas respostas.
Quanto ao vídeo, será exagero desta senhora? Loucura? Verdade? Infelizmente só saberemos disso ao longo do tempo.
Sinceramente espero que tenha sido um grande equívoco, já que milhões de pessoas estão depositando suas esperanças nesta vacina, inclusive eu.

Livi, muito bom o seu post e melhor ainda é deixar-nos informados sobre um dos principais assuntos mundial.

Ah, se você quiser saber mais sobre a história da vacina, atualidades, dá uma olhada no site Revista da vacina. Segue o link:

http://www.ccs.saude.gov.br/revolta/ltempo.html

Sérgio Ricardo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sérgio Ricardo disse...

Há suspeitas de que outras vacinas, no passado, tenham causado problemas irreversíveis em algumas pessoas. Mas, infelizmente, faltam estudos consistentes. A vacina anti-poliomielite, por exemplo, pode ter causado em pessoas que fizeram uso dela nas décadas de 60 e 70 síndromes álgicas. Mas, vejam bem, ainda é especulação, embora forte.

Livigstone H. T. Bituraldo disse...

Mônica, não podemos comparar essa vacinação da gripe suína com outras praticadas no Brasil por dois motivos. A princípio o problema da falta de sustentabilidade do planeta veio a tona apenas agora, tornando tais medidas "úteis" apenas no momento atual. Por conseguinte, tal vacinação é de nível mundial, segundo o grau de classificação da H1N1 como pandemia mundial, feita pela OMS. Sendo que tal status concedido a doença torna a questão ainda mais estranha. Visto que a doença está sob controle, e não consegue sequer se desenvolver em climas tropicais como o nosso. Gostaria de agradecer pelos seus comentários e adverti-la que não é necessário discorrer sobre o significado de siglas como OMS e PNI. Pois neste blog não partimos do presuposto de que as pessoas são oligofrênicas, e sim que elas são capazes de entender coisas simples ou não tão simples.

Ministério da saúde disse...

Prezado Livigstone Tavares,

O Ministério da Saúde adverte que os e-mails que estão circulando na Internet contrários à Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza H1N1 trazem informações falsas que não condizem com a realidade. Além de serem prejudiciais à saúde pública do país, eles tratam de especulações. Não é verdade. O fato é que mais de 300 milhões de pessoas já foram vacinadas com esta vacina no Hemisfério Norte, sem qualquer efeito colateral grave. A vacina é eficaz, segura e protege a população.

E-mails e boatos irresponsáveis como esses ocorrem em todas as campanhas realizadas pelo mundo. Fato semelhante ocorreu no Brasil, durante a Campanha Nacional de Vacinação contra a Rubéola. Naquela época, circularam na internet boatos de que, ao invés de imunizar a população, o Governo brasileiro pretendia esterilizar as pessoas em idade reprodutiva para fazer controle de natalidade. Mas, felizmente, a campanha foi um sucesso e o Brasil está prestes a receber o certificado de País Livre da Rubéola e da Síndrome da Rubéola Congênita. Graças às campanhas de imunização, o Brasil também está livre da Poliomielite e da Varíola.

Teorias de conspirações como essas servem apenas para provocar pânico na sociedade. O Ministério da Saúde orienta que, ao receber um e-mail com igual teor, encaminhe a todos os destinatários esta resposta oficial, para que informações falsas não possam tomar maiores proporções, prejudicando o funcionamento de campanhas importantes à saúde dos cidadãos.

Para obter informações verídicas sobre a campanha, acesse canais oficiais como o Portal da campanha do Ministério da Saúde www.vacinacaoinfluenza.com.br ou o site da Organização Mundial de Saúde (OMS) www.who.int.

Em caso de dúvidas: fernanda.scavacini@saude.gov.br

Mônica Fernandes disse...

Veja bem... Citei acontecimentos ocorridos no Brasil com relação a outras doenças e vacinações, mesmo sabendo que A H1N1 é uma pandemia, pelo simples fato de que não me refiro apenas ao grau de extensão ou soluções ocorridas anteriormente ou agora, sendo ela mundial ou não, mas refiro-me ao questionamento quanto à credibilidade da Organização Mundial de Saúde, desta nova vacina e mais ainda a busca ou não da melhoria da qualidade de vida da população. Releia o post e perceberá melhor minha ideia alvo.

Mônica Fernandes disse...

No entanto, obviamente em toda área pode existir falhas. Acredito que para se percorrer este caminho cheio de lutas contra doenças e a procura de suas resoluções existiram e existem sim erros, desenvolvimento de reações adversas, entre outras. Todavia, como falei isso só saberemos ao longo do tempo e principalmente através de muitos estudos.

Mônica Fernandes disse...

Como pude ler você comentou sobre o fato de eu colocar o significado das siglas. Em momento algum tive descrença sobre a capacidade intelectual ou de discernimento dos seus leitores ou mesmo de você, construtor e escritor do distinto blog. Apenas escrevi desta forma pelo simples fato de educação aos possíveis leitores deste meu comentário, posto que nem sempre os mesmos conhecem todos os significados de siglas, ou mesmo para poupar-lhes algum trabalho, não significando dizer que não saibam o conteúdo, o que aborda o título, pelo simples fato do destrinchamento de uma sigla, com certeza, caro Livigstone, outros “conteúdos” ou outras formas de escrita ferem muito mais aos leitores do que isto.

Mais uma vez, parabéns por seu blog.

Paula disse...

Sobre esta discussão acerca da H1N1, cumpre argumentar o seguinte: sou professora universitária - de Direito Penal e, por conseguinte, não tenho qualquer entendimento sobre a consistência ou inconsistência dos e-mails que circulam na internet. Por esta razão, achei prudente solicitar os préstimos de um amigo - que não vou citar o nome por razões óbvias - , geneticista, doutor que me advertiu: 1- a concentração de mercúrio, a despeito de baixa, desencadeia, sim, reações colaterais que dependem de organismo para organismo, bem como potencializa a possibilidade do desenvolvimento de câncer naqueles indivíduos com histórico da doença na família. 2- O segundo componente, albumina (interessante, as pessoas que aplicam a vacina não perguntam com frequência se o paciente sofre de alguma alergia) e 3- É uma vacina experimental para uma doença controlada e que não se desenvolve em países tropicais. Ou seja, não há mistério quando a explicação é científica. Na dúvida, achei melhor não injetar em meu organismo algo EXPERIMENTAL. Afinal, não sou COBAIA...

Livigstone Tavares disse...

Professora Paula, obrigado pelo sensato comentário. É um exemplo da necessidade de investigação de tudo que nos cerca. Obrigado por partilhar o conhecimento comigo e com os demais leitores do blog. Forte abraço.

lilianfayef disse...

Acredito que ano que vem terá outra campanha... vou passar esse ano pensando no que fazer, raramente pego uma gripe, então não vejo a necessidade de tomá-la.
Agora vc estará mudando de ambiente terá outros tipos de contato, outro clima... salvador não é uma Caruaru da vida... já pensou nesta nova realidade?

lilianfayef disse...

ahhh e essa mulher do vídeo é muito alarmista!

Nika disse...

Muito bom abordar esse tema, parabéns pela escolha!
Achei interessante o fato de que o virus é formado por combinação de proteinas já conhecidas.
Não gosto da idéia de não poder confiar em instituições de renome mundial mas como seres pensantes que somos é válido uma busca mais aprofundada.
Eu também ainda não me decidi se vou tomar essa vacina, como boa brasileira que sou deixarei pra decidir até semana que vem quando acaba a campanha...rs
E vc Livi, decidiu?

Livigstone Tavares disse...

Decidi, não tomarei. Os comentários também me ajudaram em optar por não tomar.

Thiago disse...

Tem dois laboratórios que fazem as vacinas com aspectos diferentes.
Uma é transparente, feita pela butantã e a outra é esbranquiçada que causa mais reações adversas nos pacientes.
Se conseguir optar escolha a transparente.
JÁ TOMEI E NÃO TIVE REAÇÃO ALGUMA.

Livigstone Tavares disse...

Fui acusado levianamente por alguns leitores do Blog de não tomar partido em relação a vacinação de combate ao vírus H1N1. Agora que estou gripado, e quem sabe possa ser a H1N1 (cômico ou trágico?), vou em uma curta e objetiva frase, demonstrar meu posicionamento: "Mesmo que fosse contra, eu jamais deixaria de ser a favor." ps: não tomei e pretendo continuar sem tomar.

lilianfayef disse...

As imagens estão ótimas!

Postar um comentário

Comente:

Esse blog pertence a um Alvirrubro Pernambucano

Esse blog pertence a um Alvirrubro Pernambucano
[Náutico] Conheça o site do meu time do coração [Náutico]