twitter
    Dentro de mim ficam infinitamente mais coisas do que as que aparecem nas palavras.
English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

"Cachorro não gosta de osso".


O título da postagem remete a uma história contada pelo escritor Ariano Suassuna em sua visita a cidade de Lajedo-PE, em comemoração ao aniversário de emancipação política do município do interior Pernambucano. Ariano Suassuna presenteou a cidade com sua aula-espetáculo (realmente um espetáculo) nominada “A cadência, o castelo e a cantoria. Sagração nº 3”. Entre as apresentações artísticas eruditas e populares, Ariano contava diversas histórias de sua vida, uma delas me chamou a atenção em especial, que me inspirou a postagem. Ariano contou que seu cunhado dizia que cachorro não gosta de osso, mas sim de filé. Que o cachorro só se delicia com o osso porque apenas isso lhe é ofertado. E disse que as palavras do seu cunhado eram: “[...] se lhe derem osso e filé veja qual o cachorro escolherá.”, (obviamente o filé). A partir desta história, Ariano Suassuna compara o cachorro ao povo brasileiro, dizendo que nosso povo rói ossos apenas porque só isso lhe é ofertado, que se dermos filé (cultural, musical, intelectual, etc), isso a população escolheria e abandonaria os ossos que tanto lucram com nossa população.
Ariano Suassuna é um nacionalista entusiasmado, em cinco minutos lhe ouvindo se percebe quanta fé e esperança ele deposita no nosso país. Já eu, sinceramente, não tenho tanta fé no nosso povo, apesar de também ser patriota não me engano tão fácil. Ariano Suassuna, durante a aula espetáculo usava os aplausos e a euforia do público para demonstrar que nosso povo tem bom gosto, mas o entusiasmo e a paixão exacerbada pelo Brasil lhe deram uma miopia esperançosa. Os fatos foram os seguintes, realmente o público adorou o evento, só que a aula-espetáculo era apenas para convidados, aqueles que ali estavam representam uma minoria da população e não uma maioria. Devido aos fatos demonstrados pelo sucesso de Cláudia Leite e Ivete Sangalo (lembro, rol meramente exemplificativo, longe de ser taxativo), e pelas demais coisas que presenciamos na sociedade brasileira me fazem não acreditar que a falta de oferta de “filé” é que faz com que nosso povo fique a roer ossos de sabedoria. A oferta de ossos pode ser bem maior, mas o filé também está a disposição, temos as bibliotecas (sempre vazias), blogs (pouco visitados), livros (empoeirados na estantes), etc. Não consigo eximir nosso povo pela “cultura” de mal gosto que sou obrigado a acompanhar quando acesso os meios de comunicação.
O próprio Ariano Suassuna deu uma mostra disso. Ele levou e leu uma reportagem de um jornal de São Paulo, reportagem da capa do jornal, intitulada: “CALYSPSO É A CARA DO BRASIL”. Ariano quis dizer que aquela não é a cara do Brasil, e que a cara do Brasil era o espetáculo que ele levava. Sinto que o bom velhinho esteja equivocado. É Vergonhoso sim, mas infelizmente CALYPSO é a cara de UM Brasil, o maior deles, o da mídia das massas, dos eleitores eufóricos por um político que é escancaradamente corrupto, dos cantores de axé baianos, desse Brasil, realmente a banda CALYPSO é a cara. Do Brasil dos leitores do meu blog, de Ariano Suassuna, de cultos apreciadores de música, de eleitores conscientes, de estudantes esforçados, desse Brasil a cara não se representar com uma cantora que canta berrando e de um guitarrista de quinta categoria com uma mecha loira na franja do cabelo.
Ariano Suassuna, é com triste pesar que afirmo que ele é muito entusiasmado, seu entusiasmo pelo nosso povo o levou a um equívoco. Nem minha admiração por ele como pessoa, escritor, secretário de governo, professor, militante político, foram suficientes para me cegar, e me levar a crer, assim como ele, que nosso País só tem esse “mau gosto”, e essa “descultura” por ser uma vítima e não por livre opção. Creio que há alguns que realmente carecem de recursos para desenvolver uma evolução social de forma mais ampla, a maioria, caso perdido mesmo, e o motivo não sei dizer.
Você é um nacionalista entusiasmado como Ariano Suassuna? Um cético que vê dois grupos distintos com grande diferença numérica? Ou você faz parte de um terceiro grupo, mais descrente ainda do que eu sou? O Brasil pode até ser o país do POTENCIAL como muitos afirmam, mas o que existe é um potencial que não se traduz em realidade, e infelizmente, que talvez nunca há de se traduzir.

16 comentários:

lilianfayef disse...

Tio Ariano!! meu amigão!!! kkkkk

lilianfayef disse...

Ah! Acássia cont. espalhando que é seu avô!

Livigstone Tavares disse...

Acácia !@#$%¨&*

Franklin Mano disse...

O texto está de excelente qualidade informativa, estive nesse espetáculo, e foi fantástico. Mas é uma pena que não vemos com tanta frequência Arianos Suassunas por ai.

Franklin Mano disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Hadolf disse...

Com todo respeito, você pode até saber escrever, usar concordâncias verbos-nominais, pontuações etc (o que não é raro para quem teve acesso ao mínimo de educação), mas não sabe o que escreve.
Ter a ousadia de escrever "Já eu, sinceramente, não tenho tanta fé no nosso povo, apesar de também ser patriota não me engano tão fácil", afirmando com outras palavras que Ariano é um “sonhador” (talvez, devido à idade e experiência adquirida em sua vida, ele tenha os fundamentos suficientes para crer), demonstra a vergonha que você é como "adEvogado" e o seu contraste com os ideais da OAB, que (por mais que vivamos num sistema alopoiético) acredita da democracia e na existência de uma sociedade futura digna.
Quanto à metáfora "osso-filé", antes de escrever, você deveria se informar um pouco mais, pois o brasileiro tem lido mais nos últimos anos, o que reflete diretamente numa realidade contrária a que você afirmou acreditar: o brasileiro busca, sim, o "filé" cultural, como se pode ver nas seguintes matérias:

*http://www.aber.org.br/v2/noticia.php?IdNoticia=1758;

*http://www.acbsc.org.br/site/noticias-acb/144-o-brasileiro-esta-lendo-mais.html;

*http://blogs.abril.com.br/singrandohorizontes/2010/03/brasileiro-esta-lendo-mais.html
(desculpe, não consegui encontrar as matérias “onlines” das revistas “carta capital” e “isto é” datadas do ano de 2008, as quais possuo no estado impresso).

Não confunda a manipulação da indústria musical com a "cara do Brasil", pois, apesar de o povo ouvir algumas músicas de "baixa qualidade", nos seus momentos de lazer, não quer dizer que não tenham interesse por ouvir "artistas renomados" (entre aspas, por que o tão admirado Chico Buarque não passa de um melodramático para mulheres com TPM), e também não quer dizer que o povo viva da música e não busque melhorar de vida pessoal e socialmente.
Não sê de a honra de chamar-se "patriota", se não acredita no melhoramento da nação, pois isso é um paradoxo. Não apenas um paradoxo ideológico, mas, inclusive, entre suas próprias palavras, visto que o Brasil é um país com grande desenvolvimento em potencial, ou, como você mesmo disse: O Brasil pode até ser o país do POTENCIAL como muitos afirmam, mas o que existe é um potencial que não se traduz em realidade, e infelizmente, que talvez nunca há de se traduzir”. Ora, se não se traduz em realidade, é justamente pelo fato de ser (estar em) “potencial” -não existe ainda -, visto que a natureza tendenciosa daquilo que é (ou está em) potencial é exteriorizar-se, vir à tona, tornar-se parte do mundo fático e real, no futuro (breve ou tardio, mas que se concretizará).
P.S.: Você deve ser uma vergonha como alvirrubro também, pois, se não acredita na sociedade brasileira, devido às atuais circunstâncias problemáticas (que estão paulatinamente melhorando), e, sabendo-se que o Clube Náutico Capibaribe não foge deste âmbito, você não acredita que este voltará aos tempos de glória de outrora.

Livigstone Tavares disse...

Finalmente um choque total. Por muito tempo esperei ansiosamente por alguém que discordasse completamente de algum dos meus textos. Infelizmente Hadolf exagerou um pouco, partiu para uma ofensa pessoal e não apenas de caráter intelectual. Decidiu me ofender pessoalmente fazendo uma espécie de neologismo com a palavra "advogado", neologismo pois falou da maneira que a maioria da nossa população fala. Inadvertidamente, Hadolf (que não tenho a mínima idéia de quem seja), com essa ofensa apenas corroborou a vergonha que é nossa população, só que dessa vez em relação ao conhecimento do seu próprio vernáculo. Eu sinceramente acho mais difícil pronunciar "adEvogado", "pobrema", "cadiquê", entre outras. Mas este assunto fica para outra postagem. Por hora agradeço o comentário, me entristeço por você ter partido para uma ofensa mais pensão do que em relação ao texto, e espero ansiosamente seu retorno ao blog e comentários em outras postagens.

Livigstone Tavares disse...

Continuando meu comentário sobre o comentário de Hadolf. Pois logo que vi os links pensei que ali se encerrava o comentário dele, apenas agora li o restante. Vou começar pelo Náutico, sejamos sinceros, o Náutico voltar a quais tempos de glória de outrora??? O Náutico nunca foi grande coisa. Como eu disse na postagem, eu sou patriota pelo Brasil e analogicamente pela nação alvirrubra, mas sou realista, e sei que nenhum dos dois é grande coisa, e provavelmente nunca serão. Acho que nessa disputa entre Náutico vs Brasil, o timbu pernambucano tem mais chances de ser glorioso. Sobre sua noção de patriotismo caro Hadolf... Acho que se você fosse norte-americano teria ido ao Iraque tomar bala por uma guerra sem sentido, e voltaria achando que era um grande patriota. Sua noção de patriotismo está bem aquém da minha, isso afirmo sem ressalvas. A frase sobre potencial foi bem escrita, sua argumentação sofista não é digna de comentários. Por aqui encerro e fortaleço os votos acerca de seu retorno ao blog. Forte abraço.

Anônimo disse...

Olá,Livigstone
A aula espetáculo de Ariano foi marcante, melhor de que qualquer comemoração cívica para o aniversário de Lajedo.
A metáfora do "cachorro osso-filé" deve ser entendida de outra forma, não como uma ofensa ao maravilhoso povo brasileiro.A chamada indústria cultura, assim como a política tem nos empurrado de guela a baixo uma grande quantidade de produtos de péssima qualidade, prefiro ouvir kalipso, pois me lembra sua terra de origem, Belém do Pará, terra de uma cultura imensa, talvez menos, se comparada com a nação multicultural chamada Pernambuco, do que ouvir os políticos brasileiros. A questão é que todos devem ter o direito de escolha, principalmente, se informados sobre o que estão escolhendo. Devemos ter em mente que a indústria cultural ou "cultura de massa", ou de osso, é formada por pessoas de uma classe diferente daquela para qual ela produz, ou seja um povo semiculto e passivo. Estou tentando mostrar isso para meus alunos, mas nunca exigir que eles mudem de opinião, ou seja, conheçam o filé e o osso e decidam o que preferem, mas sem imposição.
O grande osso dos brasileiros é sem dúvida os políticos que votam contra o aumento de salário dos professores e aumentam em 25% os cargos comissionados.
Um abraço,
Paz, bênçãos e sucesso.
Oriosvaldo.

Ellen Lacerda (Elinha) disse...

Oi!
tem um selo ora vc lá no blog.
xero!

Marcondes Alberto Pinto de Araujo disse...

O Brasil está progredindo "consideravelmente", embora tenha que melhorar em muitos aspectos ainda(O BRASIL PODE MAIS: "SERRA PRESIDENTE").Viva o Brasil, viva o Náutico também e o resto é xerem kkkkkk. O comentário mais "INTELECTUAL" da história desse blog.

R.A. Souza disse...

Eu gostei muito do seu post.

Só nao entendi a crítica do Hadolf ao Chico Buarque...isso tirou qualquer validade dos comentários que ele fez em relacao ao seu post.
O Chico escreve: Construcao, Cálice, A Banda....o que essas músicas tem a ver com mulheres com TPM?
Elas sao obras da melhor qualidade!

Parabéns pelo blog! É muito interessante!

Se quiser/puder, visite tb o meu:
http://dinheiroconsciente.blogspot.com/

Abracos!

Nika disse...

Concordo amplamente com sua posição neste post, mas vejo que muitas vezes esse osso oferecido é empurrado 'guela abaixo'.
Em alguns niveis da sociedade a aceitação dessa cultura manipulada vem como uma fuga da realidade, como já estudamos 'pão e circo'.

ps. Falando em 'mal gosto' e 'descultura', fica a singela sugestão para um post sobre o bolsa cultura.

Mônica Fernandes disse...

Ótimo post, Livi...

Ótimo debate está gerando com o mesmo também! Ariano Suassuna, admirável como sempre...

Sucesso no blog!

Beijo!

Dalvinha disse...

Esse tal de Hadolf é problemático, viu? rsrs
Osso pra ele então.......
Adorei! Bem escrito, show!
Viva Ariano, viva vc!
bj

Pathy telles disse...

Eu como mera e pobre mortal de letras e alem disso pernambucana(de corpo,alma e s2), também assisti a peça de ariano suassuna, e como foi bem colocado por livi anteriormente "show"...confirmo que fui espectatora e adoreiiii o que ele ali apresentou...


continue assim livi, acreditando no que a maioria das "pessoas" tende a desacreditar...Isso e ser brasileiro, ter fé e persistência!

Postar um comentário

Comente:

Esse blog pertence a um Alvirrubro Pernambucano

Esse blog pertence a um Alvirrubro Pernambucano
[Náutico] Conheça o site do meu time do coração [Náutico]